27 de set de 2008

Crazy, Quilt, Patch

CRAZY QUILT PATCH


Um dos trabalhos que mais me impressionaram em minhas "andanças" pela Internet em todos esses anos, foi o trabalho encontrado no album Flickr de IZA MG. Eu me emociono cada vez que olho para esses detalhes. Veja mais em:



http://www.flickr.com/photos/izapatch/


com pérolas

com fitas
com crochê
com vitrilhos
com botões


Crazy Patch - A criatividade da mulher


Na Filadelfia, em 1876 para comemorar o centenário da independência
americana foi realizada uma
Exposição Centenária da Filadélfia.

Esta exposição foi um marco na evolução das artes e industria.
Uma feira internacional, que contou com a participação de vários países, e deu início à modernidade, com a apresentação de várias novidades como o telefone de Grahan Bell, a Máquina de escrever de Remington, entre outras.

Mas, para nós mulheres, esta feira foi um passo a mais na luta pela
emancipação feminina.

Foi a primeira feira mundial que teve um pavilhão especial para mulheres, com ênfase para as artes e ciências.

Várias técnicas e novidades de trabalhos manuais foram apresentadas, principalmente os bordados, que influenciaram a criação de novos estilos de patchwork e quilt.

A Inglaterra vivia seu período de glória. Governada pela Rainha Vitória,
cujo estilo de vida baseado na "virtude", "modéstia" e "respeitabilidade"
era copiado por todos.

Nesta época austera, usavam-se poucas jóias, a vida na corte devia ser
mais "recatada" e, às mulheres, burguesas ou não, cabiam apenas as
atividades de "dona de casa".

As artes manuais adentraram os lares, tornando-se parte do universo feminino.

Mas ao mesmo tempo em que se impunha autoridade, com vestidos mais
simples, penteados recatados, menos brilho, as mulheres sentiam
necessidade de "enriquecer" e "alegrar", sem opulência, as roupas,
ornamentos, objetos de decoração, etc.

Deu-se início a utilização de tecidos nobres como sedas e veludos em detalhes, bolsas, ornamentos para o cabelo, tudo misturado com bordados e enfeites.

A "Chatelaine" (espécie de cinto colocado no pescoço, algumas vezes
usada na altura da cintura, onde eram pendurados vários objetos
necessários a atividade doméstica, como agulha, tesourinha, bolsinhas
para moedas, lápis, etc.) era a jóia mais utilizada na Era Vitoriana.

Para as nobre havia "chatelaines" de ouro e prata, e para quem não era nobre, couro ou tecidos que eram enriquecidos com bordados.

Além das "chatelaines" os "hussifs"(porta apetrechos) também eram uma
"ferramenta" importante para a vida doméstica.
Na feira da Filadélfia, as japonesas apresentaram ao mundo seus leques, kimonos e outros trabalhos artísticos que misturavam sedas, veludos e ricos bordados.

Foi nesse período que o crazy patch começou sua evolução.Utilizando a criatividade feminina aliada ao conhecimento de outras artes, surgiram os trabalhos de crazy para "burlar" os padrões de austeridade impostos pelo estilo vitoriano.

Os crazy patch são trabalhos que utilizam pedaços de tecidos nobres
como seda, veludo, cetim, tafetás, etc., costurados de forma não
convencional em uma base, onde depois são agregados bordados feitos
com diferentes fios, rendas, fitas, botões, pequenos enfeites, enfim, o
que a sua imaginação permitir para ornamentar e enriquecer o trabalho.

Os trabalhos de crazy poder ser realizados à mão ou â máquina.

A partir da união de blocos de crazy patch surgiram os chammados crazy
quilts.

A característica principal deste trabalho artístico é a riqueza de
materiais e os detalhes que retratam a ingenuidade e a delicadeza
feminina.

O nome crazy (maluco) pode estar relacionado à disposição
nada eclética dos pedaços irregulares de tecidos.

Não há ordem, seja para os tipos de tecidos, enfeites, e formas costuradas.

O Crazy Patch me faz lembrar a incrível capacidade de transformação da mulher.

Não importa se você é uma dona de casa ou uma executiva, mas sim, em como ela exerce essa atividade, ou seja, em como esta mulher consegue melhorar e harmonizar o seu mundo e das pessoas que fizeram parte dele, juntando um pedaço aqui, amoldando uma experiência ali, acrescentando um sorriso, uma palavra amiga, enfeitando tudo com muita feminilidade e delicadeza. Sem imposição.
Apenas sendo mulher, com força, coragem, criatividade.



Fonte- http://www.pat.patches.nom.br/retalhos/artigos/crazy.htm



Motivos redondos de flores 5








Os gráficos você encontra AQUI.
Bons crochês!

Casaco de lã mesclada - ponto Silvia


Este casaco eu fiz há 34 anos. E eu tenho visto em revistas atuais casacos parecidos, com lã mesclada. É a moda retrô.


E, mexendo em meus guardados hoje, encontrei a receita do ponto, do blog Curupisa, em castelhano/espanhol?
Veja o detalhe do ponto:

Veja a receita do ponto AQUI.

Bons crochês!

Barrado de toalha com passa fita




Barrado com flores de crochê azuis, lilás e brancas e fita lilás.



Gráfico AQUI.

Bons crochês!

Motivos redondos de flores 4



Os gráficos você vê AQUI.

Bons crochês!


26 de set de 2008

25 de set de 2008

Tulipas e outras flores em quilt e patchwork

Mais flores na primavera.

Lindo painel de tulipas em patchwork e quilt.

Amofadas e travesseiros em patchwork.

Mais flores.




O QUE É QUILT E PATCHWORK

O patchwork e o quilt são trabalhos feitos geralmente com retalhos de tecido.
O patchwork consiste em unir retalhos, formando combinações de cores e desenhos.
Os trabalhos de patchwork podem ser desenvolvidos com a utilização de diversas técnicas e, geralmente, utilizam manta acrílica para criar um efeito acolchoado.
Para o arremate dos trabalhos de patchwork, utiliza-se pespontos largos, mais conhecidos como quilt.
O quilt é uma espécie de alinhavo, usado para criar efeitos de relevo nos trabalhos de patchwork ou em acolchoados. O quilt pode ser feito à mão ou com a máquina de costura.
Com algumas técnicas e um pouco de imaginação, é possível criar trabalhos maravilhosos em patchwork e quilt. Você pode fazer colchas, almofadas, painéis, roupas, etc. O patchwork é muito mais que uma arte, é uma terapia.

O SURGIMENTO DO QUILT E PATCHWORK

O patchwork e o quilt são trabalhos manuais muito antigos. As primeiras evidências desse tipo de trabalho são muito antigas, há registros de 3400 A.C.
No Egito antigo, os faraós já utilizavam roupas feitas de sobras de tecidos, para serem usadas sob as armaduras de ferro e colchas.
Na idade média, o patchwork e o quilt se espalharam pela Europa (Inglaterra, Itália, França e Alemanha). Os peregrinos ingleses, que fugiram das perseguições religiosas, trouxeram o patchwork e o quilt para a América.
Nessa época, as mulheres eram obrigadas a fazer trabalhos manuais (para evitar que o "demônio" entrasse em suas mentes) e só podiam sair de casa para ir à igreja ou às reuniões de quilteiras. Com o tempo, essas mulheres passaram a planejar as peças antes de costurar e, assim, o patchwork deixou de ser uma atividade apenas utilitária e passou a ser uma forma de expressão. Todas as mulheres, antes de se casar, deveriam fazer 12 trabalhos (um para cada mês do ano).
A partir de 1846, com a invenção da máquina de costura doméstica, o patchwork e o quilt passaram a ser feitos à mão e à máquina.
Após a 2a. Guerra Mundial, as mulheres começaram a sair de casa e a trabalhar fora. Durante algum tempo, o patchwork e o quilt ficaram esquecidos.
Na década de 70, com o movimento hippie, o artesanato voltou a ter destaque. Desta forma, o quilt e o patchwork ressurgiram com força total.
As máquinas de costura evoluíram, surgiram acessórios especiais para o patchwork e o quilt (réguas, cortadores) e as técnicas foram aperfeiçoadas. A indústria têxtil passou a desenvolver estampas e cores especiais e o patchwork invadiu as coleções de estilistas famosos e as passarelas.
Hoje, o patchwork e o quilt são uma arte, que pode ser aplicada na moda, em casa, onde sua imaginação quiser.

O PATCHWORK NO BRASIL

No Brasil colonial e imperial, o quilt e o patchwork eram atividades limitadas aos escravos, que usavam retalhos das roupas de seus senhores para a confecção de cobertas e roupas. Somente com a chegada dos imigrantes o patchwork começou a ser mais difundido.
Hoje, há muitas escolas que ensinam as técnicas e o patchwork é um sucesso
.

Fonte: Singer

Mais trabalhos : http://patchwork.arteblog.com.br/

23 de set de 2008

Amor-perfeito em ponto reto

Mais flores!

Gráfico AQUI.

Motivos redondos de flores

A partir de hoje vou mostrar motivos de flores de crochê, que servem para mantas colchas, toalhas, aplicações, coletes, blusas, enfim, uma infinidade de usos tanto em lã como em linha.















Gráficos AQUI.


Bons crochês!

caminho de rosas em crochê filê

Gráfico AQUI.

Bons crochês!



rosas na toalhinha

Gráfico AQUI.

Bons crochês!

Mais margaridas na toalhinha

Na estação das flores muitas margaridas na toalhinha.



Gráfico AQUI.

Bons crochês!

Rosas brancas

O gráfico voce encontra AQUI.

Bons crochês!

Orquídea vermelha


Gráfico AQUI.

Bons crochês!
Blog Widget by LinkWithin